Brasileiros vacinados em Portugal relatam alívio e “inveja” de amigos

Alguns brasileiros que trabalham no Serviço Nacional de Saúde (SNS) de Portugal e já receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 relatam que estão sentindo uma mistura de alívio, esperança e um tipo de privilégio.Médicos, enfermeiros e funcionários administrativos, que atuam na linha de frente, contam que causaram uma certa “inveja” nos colegas de saúde que atuam no Brasil, pois ainda não sabem quando serão imunizados.Até quinta-feira (31/12), os profissionais da saúde que atuam em Portugal, entre eles 791 médicos e 245 enfermeiros brasileiros, deverão receber a dose inicial da vacina Pfizer/BioNTech. A segunda dose também é gratuita e será aplicada com um intervalo de 21 dias.A enfermeira carioca Luana Thomé trocou o Méier por Portugal há três anos para buscar segurança e uma educação melhor para a família. Ela contou que a imunização também mostra que ela encontrou saúde. As informações são do Extra.Mais sobre o assuntoPolítica“Não posso pressionar a Anvisa”, diz Bolsonaro sobre vacina da Covid-19SaúdeCoreia do Sul detecta nova variante de Covid-19 e acelera busca por vacinasMundoFrança e Espanha recebem primeiras doses da vacina contra Covid-19MundoPrimeira francesa a receber vacina contra Covid-19 diz estar “emocionada”BrasilPazuello diz que estados receberão vacinas contra Covid-19 simultaneamente“Fiquei aliviada por ser uma das primeiras a receber o imunizante”, informou Luana. ” Deu uma inveja boa (nos colegas do Brasil), que gostariam do mesmo suporte. Fomos pioneiros e eles nem sabem se vão receber a vacina, (em alguns casos) o salário”, destacou.Ela trabalha no Hospital São João, em Porto. A unidade recebeu o primeiro paciente com Covid no país, em março e a escolha para a dose inaugural do imunizante, no diretor de infectologia António Sarmelo, foi simbólica.O mineiro Guilherme Guedes é assistente operacional, função de apoio aos médicos e enfermeiros, recebeu a vacina na tarde de domingo (27/12), no Hospital Santa Maria, em Lisboa. Ele postou uma foto do momento da vacinação e uma seguidora comentou que aquilo era o sonho para ela.“Foi uma amiga enfermeira, lembrando que não há previsão (de vacinação) no Brasil”, afirmou.Guilherme conta que a vacina trouxe maior segurança para retornar ao Brasil e visitar a família. “Pessoas desistiam de ir lá em casa quando souberam que eu trabalhava em hospital. É um alívio. A vacina traz esperança de um 2021 diferente”, conclui.Também assistente operacional, a goiana Ivani Coimbra tem atuado na área reservada para pacientes diagnosticados com Covid-19 e se sente privilegiada com a vacina.“Digo que é um privilégio pois sei que nem todo o mundo terá a oportunidade neste momento”, conta a assistente operacional.

Fonte: Metropoles